Escif

Braço de Prata train station, Marvila
2022

Artist Bio Artist Shop

In this urban art intervention entitled “Diente de oro”, Spanish artist Escif creates a dialogue with its surroundings, establishing a relationship between the different existing elements: the compositions added to the space and those that make up the space itself. Each image added to the wall holds the same value as the graffiti that was already there.

Furthermore, this mural establishes a direct link with “Está lloviendo”, the artist’s most recent solo exhibition at the Gallery: “There is no hierarchy and the mural generates and respects the declassification of spaces where leaks occur and everything is linked. It is dialogue muralism, which takes as its starting point what is or what already exists and builds through trees of relationships.”

Escif comes from Valencia, Spain, where he started painting graffiti in 1996. Making murals, public interventions, video, installations and drawings, he tries to understand how to experiment life as an open process of knowledge and knowledge as an open process to experiment life. He doesn’t believe in art as a meaning in and of itself and uses it as an excuse to approach different concepts such as the street, the economy, social movements, organic food, macropolitics and micropolitics. His work is usually considered to exist on a strange border between popular and conceptual art.
-
Throughout 2021 and 2022, the Underdogs Public Art Programme, which has been transforming public space in Lisbon since 2013 in partnership with the Galeria de Arte Urbana (GAU) and the Lisbon Municipality, is revealing a new format, where artists are invited to create work that raises awareness about urgent issues facing the environment and contemporary society. ⁠



Nesta intervenção de arte urbana sobre o título “Diente de oro", o artista espanhol Escif cria um diálogo com o seu meio envolvente, estabelecendo uma relação entre os diferentes elementos que o integram: as composições adicionadas ao espaço e aquelas que constituem o espaço em si. Cada imagem adicionada à parede possui o mesmo valor que o graffiti que já lá estava de início.

Adicionalmente, este mural estabelece uma ligação directa com “Está lloviendo”, a exposição individual mais recente do artista na Galeria: “Não existe hierarquia e o mural germina e respeita a desclassificação dos espaços onde fugas ocorrem e tudo está ligado. É o muralismo de diálogo, que toma como ponto de partida aquilo que é ou que já existe, e constrói árvores de relações”.

Escif vem de Valência, Espanha, onde começou a fazer graffiti em 1996. Realizando murais, intervenções públicas, vídeo, instalações ou desenhos, tenta descobrir como experienciar a vida enquanto um processo aberto de conhecimento e o conhecimento enquanto um processo aberto para experienciar a vida. Não acredita na arte como um sentido em si e usa-a como pretexto para abordar diferentes conceitos tais como rua, economia, movimentos sociais, alimentação orgânica, macropolítica e micropolítica. O seu trabalho é normalmente considerado como pertencendo a uma estranha fronteira entre arte popular e arte conceptual.
-
No decorrer de 2021 e 2022, o Programa de Arte Pública da Underdogs, uma iniciativa que tem transformado o espaço público de Lisboa em parceria com a Galeria de Arte Urbana (GAU) e a Câmara Municipal de Lisboa desde 2013, revela um novo formato, onde artistas são convidados a criar trabalho que chama a atenção para os desafios mais urgentes enfrentados pelo meio ambiente e a sociedade contemporânea.